Mazin das Frutas

ENTREVISTA: Francisco Fernandes da Silva – Mazin das Frutas

O portal do bairro Dias Macedo, com o objetivo de registrar os bons momentos esportivos do Dias Macedo entrevistou um de seus primeiros jogadores do SOCIAL, o “Mazin”, como e conhecido.
No bate papo que o tivemos revelou com exclusividade detalhes interresantes sobre o futebol do
mais querido time e outras curiosidades.

Sempre alegre brincalhão, Mazin me recebeu na sua casa e também e o seu comercio de forma
muito educada. Recordou de fatos que merecem estar para sempre guardados e ficarem para
conhecimento dos mais jovens. É a nossa história, a nossa memória, o nosso passado, as nossas
lembranças.

Os fatos abaixo ocorreram em um período que o bairro Dias Macedo era tranquilo, o clima excelente,
não havia violência só tranquilidade e paz. As pessoas podiam ficar nas calçadas à noite sem serem
importunadas e assim o faziam. Os nossos agradecimentos pela receptividade o atleta (aposentado)
Mazim e pelas informações prestadas ao portal do bairro Dias Macedo.

– Francisco Fernandes da silva – o “Mazin”

Francisco Fernandes da Silva é o nome de um dos primeiros jogadores do Sport Clube SOCIAL,
conhecido como mazin.

Mazin nasceu em 17 de Julho de 1946 (Falecimento 16 de agosto de 2018.) e estar, portanto com 63 anos
Pesa 59 kilos e 1,58m de altura. Nunca bebeu e nem fumou, sim fumei só pra fazer raiva ao professor ZEQUINHA (brincadeira). É meu amigo! Moro no Dias Macedo a 50 anos.

Suas maiores paixões:

Serestas muito gostosas, futebol, jogavam bola de meias, festas juninas.

O campo do esporte clube Social

Construímos o campo do Social há 48 anos, nos meados dos anos 1961. A nossa primeira partida foi
contra o Taboca da Serinha, ganharmos o jogo de 2×1, (02) gol do Atila e (01) meu. O atila morava nas
cajazeiras ele era o nosso artilheiro, tinha os jogadores Caminha, Dorinha, Manuelzinho, Juraci ( inmemoria).
Lembro muito bem que o campo estava lotado, inclusive o capitão João Lima estava presente nesse jogo.
Naquela época agente andava com roupas comuns, ao lado do campo tinha muito coqueiro agente usava
como arquibancadas.

O futebol de antigamente

O mais engraçado era como se falava: era corner (escanteio), off Said (impedimento), centréfor (atacante),
bec (central), ponta de lance(ponta direita)

Renumeração zero

Ninguém ganhava nada, e jogava com amor ao time e suava a camisa mesmo quando terminava o jogo
todos os jogadores levavam o seu material para casa já na reunião da quarta feira todos taziam o seu
material lavadinho e passado, quer dizer engomado.

A diretoria

Tudo começou no centro social na av. Pedro Dantas, o Sr. Chico Mota cedeu uma sala ao lado da sua casa
Zequinha foi o idealizador de tudo foi 1º presidente, e os diretores; Euclides, Pedro Pompilho, Sr. Moacir,
E eu também fiz parte e o resto eu não me lembro.

Em 1961

Os jogadores que faziam parte do time eram: Juraci (inmemoria), Bastião irmão do Braz, Justo, Zé da Vila,
Chico pinico, Demir, Paulinho hoje ele é cambista, Zé Augusto irmão do Luciano Camelo que depois jogou
no Social, Messias, Zuca (inmemoria), Atila, Dorinha. O técnico era o Pedro Pompilho, Moacir Pretinho diretor
de esporte ele contabilizava todos os lances; todos os fora que hoje chama de lateral, escanteios (corner),
tiro de meta, ate offsayd como agente chamava na época. Atrave era de carnaúba não tinha redes a bola
era de couro cru nº 5, quem costurava era o Pedro Pompilho

1961 a 1964 !

Eu jogava descalço quando o time foi calçado eu parei porque não sabia jogar calçado o meu costume era
andar descalço.

As diversões da moçada!

As diversões era os brazas, depois veio as tertúlia no centro Social ao som da radiadora do Moacir Marinho
Também tinha festa na casa da dona fransquinha macaxeira, mãe do saudoso Nogueirinha, ao ar livre no
som da radio Maranguape, as vezes fazíamos de baixo falante.

Fatos marcantes

Foi a inauguração da av. Pedro Dantas, iniciativa de José de Arimateia, que foi o único que fez pelo nosso
bairro, tudo isso no tempo do prefeito Cordeiro Neto. O nosso conjunto do Social, mazin, Moacir Marinho,
Assis Brito, Totonho Brito era o sanfoneiro, o Eneias era do DNOCS.

As festas tradicionais!

Quando tinha festa no centro social as moças compravam roupas novas, faziam os cabelos elas passavam
laquê os conjuntos era os faraós, os brasa seis, canarinho do reino e outros, também tinha as festa juninas.

Os locais pitorescos!

O Papoquinho, Cemitério dos cachorros, rua Caxuá, baixio, na casa do cap. João Lima agente ia lá assistir
os filmes; Bonanza, a família trapo, Tede boy Marinho.

Famílias tradicionais!

Manoel Martinho
Manoel Felix
Jaime Nogueira
Chico Mota
Chico Profiro
Luiz Aracati
Raimundo Chagas
João Furão
Pedro Pompilho
Assis Brito
Pão de Milho
Cap. João Ferreira Lima
Sr. Edmar
José de Arimateia
Salustiano

Curiosidade!

Freqüenta Velório, contar piadas, brincar de mão direita, Mao esquerda, tomar café com bolachas, as
vezes agente ficava discutindo aonde seria o próximo velório, naquela época nós eramos todos jovem não
tinha preocupação com nada, tempo bom.

As empresa de Ônibus!

Tinha dois ônibus, o caixão de anjo e batucada, um era bem azulzinho e outro fazia muito barulho ai nos
batizamos, na placa do ônibus tinha o nome Parque Olinda, o sinal para ele parar era um chucalho no ouvido
do motorista, o final da linha ficava no Alto da balança,hoje antiga BR116.

O apelido do Bairro!

Era chamado de Mata galinha desde dos tempos antigos, depois passou para parque Olinda, em 1959
colocaram de Dias Macedo em homenagem ao Antonio Dias Macedo.

A mudança do Mazin para outro time!

Inventaram um torneio e faltava um time ai eu resolvi fazer o NA HORA e deu certo pegamos os jogadores
do Social a tarde eles não foram jogar pelo Social ai o Social perdeu e sofreu uma goleada e o nosso time
foi Campeão.

 

*Entrevista ao repórter: Edílson Aguiar de Mouras – 05 de Junho de 2009

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X